Medidor de prevenção e segurança no trabalho PCE-VOC 1

Referência: PCE-VOC 1
194,90 €
235,83 €
4250348717351
PCE-VOC 1
Preço sem IVA e sem frete (8,00 € + IVA)
Prazo de entrega: 10 Días
Medidor de prevenção e segurança no trabalho para medições indicativas de TVOC e HCHO / Display grande /
Função de alarme / Acumulador / Desconexão automática
O medidor de prevenção e segurança no trabalho é usado para a medição indicativa dos compostos orgânicos voláteis totais (às vezes chamado TVOC por suas siglas em inglês) e formaldeído (HCHO). O medidor de prevenção e segurança no trabalho é ideal para verificar a qualidade do ar. O TVOC fornece informações sobre a qualidade do ar em interiores. O medidor de prevenção e segurança no trabalho é destacado por sua grande tela e sua simples operação. O dispositivo possui apenas três teclas, o que permite trabalhar de forma rápida.

O usuário, além de ver o valor na tela, pode detectar um alarme opticamente, pois a tela ilumina na cor vermelha quando atinge um valor crítico de COV ou de HCHO. Poderá visualizar a qualidade do ar do medidor de prevenção e segurança no trabalho em mg/m³ ou em ppm. O medidor de prevenção e segurança no trabalho integra um acumulador de polímero de lítio que garante várias horas de operação. O acumulador pode ser recarregado através da fonte de alimentação conectando-se ao medidor de prevenção e segurança no trabalho.

Compostos orgânicos voláteis (COV)

O que significa COV?
A abreviação COV (acrônimo em inglês VOC, Volatile Organic Compounds) denota o grupo dos compostos orgânicos voláteis. O COV define substâncias gasosas e vaporosas de origem orgânica no ar. Estas incluem hidrocarbonetos, álcoois, aldeídos e ácidos orgânicos. Muitos dissolventes, combustíveis líquidos e substâncias produzidas sinteticamente podem ser apresentados como COV, mas também numerosos compostos orgânicos que são formados em processos biológicos. Centenas de diferentes compostos individuais podem ser apresentados juntos no ar.

Quais são as fontes de COV?
O COV surge de diversas de fontes. Os processos biológicos podem ser fonte no ar externo, por exemplo, processos no metabolismo das plantas, processos de decomposição e degradação. Outras fontes no ar externo incluem processos técnicos, nos quais as substâncias são formadas a partir de combustões incompletas (especialmente das emissões de veículos), ou como subprodutos voláteis de processos industriais ou comerciais. As possíveis fontes de espaços interinos são produtos e materiais para a construção de edifícios e decorações de interiores, por exemplo, materiais para piso, paredes e tetos, tintas, vernizes, colas e materiais de decoração. Também são significativos produtos cosméticos, de limpeza e hobby, assim como a fumaça dos cigarros, até a preparação de produtos alimentícios e o metabolismo humano.

Comparadas às fontes de ar externo, as fontes de espaços internos da Europa Central geralmente têm uma importância muito maior para a saúde, porque as pessoas estão principalmente dentro dos edifícios. Além disso, a distância à uma fonte de COV é geralmente inferior em interiores que em exteriores. No entanto, ao ventilar, as concentrações são reduzidas aos seus valores iniciais.

Como chegam os COV ao ar?
Quando os dissolventes ou combustíveis líquidos evaporam e produtos líquidos ou pastosos secam, são liberadas grandes quantidades de COV no ar. Menos evidente é a propagação de diferentes substâncias que não estão firmemente integradas em um produto. Elas podem ser liberadas lentamente no ar a partir da superfície do produto, e emitir do interior um fluxo constante à superfície (emissão de material). Isto se aplica, por exemplo, a dissolventes excedentes e componentes em plásticos (monômeros), substâncias auxiliares como amaciantes, agentes solubilizadores, antioxidantes, estabilizadores e catalisadores do processo de produção, assim como outras substâncias como fragrâncias, substâncias ignifugas e biocidas. Outros COV típicos também são os terpenos. A emissão no ar procede de materiais e produtos de origem natural, por exemplo, da madeira. Os COV também são gerados como produtos de reação: oxigênio, ozono, ou água com conteúdos de origem natural, como os encontrados em madeiras ou óleos vegetais.

Que efeitos podem ter os COV na saúde?
Os níveis de concentração dos COV individuais são geralmente muito baixos, pelo que não representam nenhum risco à saúde. As concentrações que podem ter efeitos prejudiciais à saúde podem surgir imediatamente após uma construção ou uma reforma extensiva, assim como por um tratamento inadequado ou a aplicação massiva de produtos inapropriados. São descritos como efeitos graves em seres humanos, desconfortos devido a maus odores, irritações e sintomas que não podem estar diretamente relacionados a uma doença. É necessário evitar tais efeitos, assim como os efeitos crônicos, obtidos por científicos em valorações toxicológicas, particularmente os efeitos cancerígenos, efeitos mutagênicos ou tóxicos para a reprodução. Uma vez conhecidos estes efeitos, e de acordo com o decreto relativo à proibição de produtos químicos, estas substâncias não devem mais ser utilizadas nos produtos finais. Contudo, não é possível descartar que existam vestígios de COV com elevado impacto potencial, principalmente em produtos primários não controlados ou materiais reciclados.

Como o COV pode ser reduzido?
Os consumidores deveriam escolher produtos e materiais de baixa emissão. Devem fixar-se nas etiquetas ecológicas certificadas, como o anjo azul. Quando tenha que realizar importantes obras de construção ou reformas, verifique se os materiais foram certificados de acordo com as normas em vigor. Os materiais com rótulo ecológico reconhecido e certificados de acordo com as normas garantem que a emissão de COV seja reduzida ao mínimo.

Se surgirem problemas de saúde em casa e você achar que eles estão relacionados com os COV, lembre-se de que será bastante difícil encontrar a fonte. As medições de qualidade do ar e medições de emissão em materiais geralmente são caras e normalmente não fornecem os resultados desejados. É por isso que os residentes deveriam procurar assessoramento profissional. Encontrará peritos nos departamentos de saúde e meio ambiente, nas câmeras de comércio e indústria ou na Internet. Os peritos podem detectar a fonte do COV realizando uma inspeção da vivenda e consultando os residentes. Uma vez que a fonte do COV tenham sido detectadas, deve ser tomada uma decisão individual sobre sua eliminação. Deverá ter em consideração o tipo e a extensão dos problemas à saúde, o nível de COV e a diminuição esperada, assim como os gastos. Neste caso também é bom solicitar ajuda profissional com essas fontes para ver se é necessário eliminá-las, contê-las ou tratá-las. Em geral, sempre é útil e fundamental para reduzir a concentração de COV arejar bem os espaços interiores.

- Medição de TVOC e HCHO
- Display grande e fácil de ler
- Alarme acústico e visual
- Robusto e compacto
- Escassa manutenção
- Acumulador integrado

Especificações técnicas
Faixa
HCHO 0 ... 5,00 mg/m³  /  ppm
Resolução 0,01 mg/m³  /  ppm
Precisão ±5 % do fundo escala
Faixa
TVOC 0,00 ... 9,99 mg/m³  /  ppm
Resolução 0,01 mg/m³  /  ppm
Precisão ±5 % da escala completa
   
Tempo de resposta< 2 segundos
Temperatura de operação 0 ... 40 °C
Temperatura de armazenamento     -10 ... 60 °C
Alimentação Acumulador LiPo 7,4 V / 1200 mAh
Fonte de alimentação Input: 100 ... 240 V AC, 50/60 Hz, 0.2 A
Output: 9 V, 1 A
Tempo de carregamento Aprox. 2 horas
Peso Aprox. 584 g
Dimensões 165 x 60 x 25 mm

Conteúdo da remess
1 x Detector de gás COV PCE-VOC 1
1 x Fonte de alimentação de 9 V
1 x Acumulador de 7,4 V LiPo
1 x Manual de instruções